IFG e IFGoiano participam de oficina agroecológica

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Com o intuito de contribuir com práticas alimentares saudáveis e em sintonia com a sustentabilidade social, ambiental e econômica, foi realizada nesta semana uma oficina agroecológica para servidores do Instituto Federal de Goiás (IFG) e Instituto Federal Goiano (IF Goiano). A iniciativa foi do Grupo Intersetorial de Promoção da Saúde no Estado de Goiás (GTIPSEGO), do qual o Subsistema Integrado de Atenção à Saúde do Servidor (Siass) faz parte.

A atividade faz parte do projeto Hortas Urbanas Agroecológicas: uma Estratégia de Promoção da Saúde e envolveu 40 participantes. Durante toda a manhã, foram realizados café da manhã coletivo, socialização, capacitação e feira agroecológica. Na oficina, houve plantio de mudas orgânicas, explicações técnicas sobre como desenvolver/manter uma horta e a importância do consumo desse grupo de alimentos para saúde, além da colheita de cenouras, beterrabas, cebolas, pimentas, jilós, couves e alfaces.Esse momento foi coordenado pelo engenheiro agrônomo Djan Carlos de Lorenzi – voluntário no projeto do GTIPSEGO – e por Antônio Valverde, responsável pelo projeto Horta Escolar da Secretaria Municipal de Educação.Também participaram colaboradores da equipe de Nutrição da Pró-Reitoria de Extensão do IFG. A oficina aconteceu no projeto Vida, em Aparecida de Goiânia. O espaço atua na recuperação e tratamento de dependentes químicos por meio de hortas agroecológicas.

A capacitação dos servidores culminou em grupos de referência nos institutos para a continuidade do projeto no ambiente institucional. A proposta é que haja uma feira agroecológica mensal e o plantio de hortifrutis orgânicos nas reitorias, como projeto piloto. Posteriormente se espera estender a iniciativa aos campus.

Perfil Alimentar – Dados sobre o perfil alimentar e o estado nutricional dos servidores dos Institutos mostram que é baixo o consumo desses alimentos.  Além disso, apontam para excesso de peso e sedentarismo, fatores que, associados, apresentam riscos para o desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis, a principal causa de morte no Brasil e no mundo, conforme o estudo.

Para a uma das responsáveis por esse levantamento e representante do Siass no GTIPSEGO, Ariandeny Furtado, a alimentação saudável é um fator de proteção à saúde e a agroecologia aparece como oportunidade de desconstruir o sistema alimentar vigente. "nada melhor do que trazer alimentos agroecológicos ao ambiente institucional como forma de promover a saúde", evidencia.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Instituto Federal de Goiás (IFG).

SCS, quadra 2, bloco D, Edifício Oscar Niemeyer, térreo, lojas 2 e 3. CEP: 70316-900. Brasília – DF
    (61) 3966-7201
   conif@conif.org.br