Jocipe 2017: Mostra expõe 15 alimentos desenvolvidos por estudantes do IFMT

Os resultados da I Mostra de Inovação de Alimentos do campus Sorriso do Instituto Federal do Mato Grosso (IFMT) foram divulgados nesta quinta-feira, 23/11, durante o segundo dia de atividades da V Jornada Científica de Pesquisa e Extensão (Jocipe) da unidade de ensino.

Por meio da exposição, os professores do curso técnico em alimentos integrado ao ensino médio propuseram, aos estudantes dos segundos e terceiros anos, o desenvolvimento de produtos inovadores com potencial para serem colocados no mercado.

A atividade envolveu aproximadamente 80 alunos, ao longo das seis semanas, que antecederam a Jocipe. Como resultado, 15 alimentos inéditos foram apresentados no primeiro dia da Jornada Científica. A lista conta com doce cremoso de bacupari, batata funcional com hibisco, trufa de café com caju, paçoca funcional, bolinho de peixe com catupiry (sem glúten), Alfajor zero lactose e zero glúten, Petit suisse enriquecido com fibras, iogurte de nhame, sorvete de acerola com cenoura, donut funcional com cranberry, cup coffee – pasta de cuplate com café, sorvete de beterraba, vegan beef, maria mole de açaí e broc burguer.

A dedicação dos alunos chamou a atenção da coordenadora do curso, Gricielle Aparecida Sutil. Ela conta que “eles aplicaram o conhecimento teórico que tiveram ao longo do curso. Foi interessante, porque pudemos observar os conteúdos em cada etapa do processo, desde a escolha da matéria prima, passando pelo desenvolvimento do produto, da embalagem, do rótulo, e a apresentação das informações nutricionais. Foi muito bom”, conclui.

Participante do grupo que desenvolveu trufas de café com caju, a estudante Mirelli Assis de Almeida conta que a ideia para o produto foi uma consequência de uma série de testes. “A gente queria fazer bala de café com caju, aí não deu certo. Então a gente resolveu misturar coisas e acabou no chocolate, daí a gente foi para a trufa”. Na avaliação da organização da atividade, o produto do grupo da estudante ficou entre os três melhores da Mostra de Alimentos. O resultado reforçou em Mirelli o espírito empreendedor. “Pretendo patentear, quero vender! Eu posso criar comida, as pessoas podem gostar e começar a comprar e eu posso ganhar muito dinheiro com isso”, comenta ela.

Preparada com óleo de canola, a batata produzida pela equipe da estudante Laura Rambo tem características funcionais e leva na receita o hibisco. “A gente queria fazer uma batata diferente. Então, a gente pensou em usar o hibisco, que normalmente é utilizado para fazer chá. Várias pessoas gostam de comer batata frita e nós buscamos uma alternativa mais saudável”, explica Laura. O produto ficou em segundo lugar na Mostra.

O maior destaque da atividade ficou com a equipe que desenvolveu o doce cremoso de bacupari. Conforme o estudante Davi Machado Castilhos, do segundo ano do curso de técnico em alimentos, bacupari “é uma fruta da Amazônia, que é pouco conhecida, mas que possui várias propriedades medicinais”. A descoberta, segundo ele, veio de uma conversa com uma amiga. “Ela disse que tinha essa fruta na casa dela e a gente resolveu experimentar”.

O sucesso do doce foi uma grande surpresa para a colega de Davi, Andrieli Garcia. Ela, que entrou no curso de técnico em alimentos pensando em se preparar melhor para a carreira de nutricionista, explica o processo por trás do desenvolvimento do doce. “Fizemos vários testes com a polpa e com a casca até chegarmos na textura e no sabor que apresentamos”.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Instituto Federal do Mato Grosso (IFMT).

SCS, quadra 2, bloco D, Edifício Oscar Niemeyer, térreo, lojas 2 e 3. CEP: 70316-900. Brasília – DF
    (61) 3966-7201
   conif@conif.org.br