Pesquisa cria placas pré-moldadas para tampas de esgoto até 50% mais leves

Projeto desenvolvido por alunos e professores do curso de Engenharia Civil do Instituto Federal de Sergipe (IFS) – Campus Estância trouxe uma solução inovadora para uma demanda do mercado. Após um ano de estudos, a equipe conseguiu produzir placas pré-moldadas para tampas de esgoto de 30% a 50% mais leves, sem alterar a resistência mecânica, ao substituir a brita por argila expandida.

Entre as vantagens identificadas no estudo, estão a maior facilidade no transporte, no manuseio e na manutenção das tampas, assim como a melhoria da segurança na prestação do serviço. Os experimentos foram realizados em quatro ambientes diferentes: Campus Estância, Campus Aracaju, Universidade Federal de Sergipe (UFS) e na empresa produtora de pré-moldados de concreto que demandou junto ao IFS placas menos pesadas do que as de brita.

A necessidade do segmento empresarial resultou no projeto de iniciação científica (Pibic) "Estudo da variação granulométrica de agregado sintético para produção de placas pré-moldadas de concreto não estrutural”, coordenado pelos professores Herbet Alves de Oliveira e Vanessa Gentil A. de Oliveira, com o auxílio da professora Fernanda Martins Cavalcante Melo e da técnica de laboratório Mandarlan H. Nascimento Pereira.

Participaram do estudo os alunos Fernando Luís de Andrade Santos, José Nilton Soares Santos e Fagner Fonseca Santos, que tiveram a oportunidade de apresentá-lo no XXI Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciências dos Materiais (CBECIMat), na cidade de Natal, em 2016. “Essa experiência foi fundamental por que, a partir dela, descobri que quero me especializar na área de ciência dos materiais”, afirmou Fernando Luís.

A iniciação científica foi importante também para a definição da carreira do estudante José Nilton, que pretende ingressar na academia. “Quero continuar a fazer pesquisa e tentar o mestrado. A participação no congresso foi muito boa. Além de poder viajar e conhecer outras pessoas, trocamos conhecimentos e fomos reconhecidos pelo nosso trabalho”, ressaltou.

Segundo o professor Herbet Alves, o grande diferencial do estudo foi a originalidade da metodologia aplicada: o “uso de um diagrama ternário contendo três granulometrias diferentes para obter o melhor arranjo granulométrico”. A partir desse diagrama, que é pouco usado na Engenharia Civil, buscou-se a combinação ideal de materiais para a obtenção do melhor resultado possível.

Publicação – O professor Herbet enfatiza que as pesquisas, de um modo geral, acrescentam experiência tanto para os professores quanto para os alunos. “Essa, em particular, foi de grande relevância porque conseguiu ser publicada numa revista acadêmica de projeção nacional, editada pela Universidade do Rio de Janeiro [UFRJ], o que nos motiva a continuar fazendo trabalhos de alto nível”, destacou.

Em março deste ano, o artigo intitulado "Estudo da variação granulométrica de agregado sintético para produção de placas pré-moldadas de concreto não estrutural” foi publicado na Revista Matéria, da UFRJ, classificada como B2. Esse feito foi relevante não só para o currículo dos alunos e professores envolvidos, como para a projeção do Campus Estância, que está para receber em breve a avaliação do Ministério da Educação (MEC).

Fonte: Carole Ferreira da Cruz (Instituto Federal de Sergipe – IFS)

SCS, quadra 2, bloco D, Edifício Oscar Niemeyer, térreo, lojas 2 e 3. CEP: 70316-900. Brasília – DF
    (61) 3966-7201
   conif@conif.org.br