LOGO PORT1 LOGO ENGLISH32px LOGO ESP1

IFMT conquista 1º e 2º lugares na final da Maratona Células Empreendedoras MT 2017

Dez estudantes do ensino médio integrado do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) dos campi Diamantino e Juína conquistaram os dois primeiros lugares na Maratona Células Empreendedoras MT 2017. A competição envolveu o IFMT, a UFMT, a Unemat, as Escolas Técnicas Estaduais e o Univag. Além dos alunos, o professor do IFMT – campus Diamantino –, Giovane Spindola, foi um dos cinco ganhadores do prêmio professor empreendedor. A etapa final e premiação ocorreu na noite de quarta-feira (21), no Salão Clovis Vetorato, no Palácio Paiaguas.

A equipe vencedora é do IFMT – Campus Diamantino – com a startup “Aminotec – Tecnologia com Aminoácidos” que consiste, segundo a representante, Anna Clara Capistrano, em criar produtos à base de aminoácidos. “Criamos um dispositivo que libera aminoácidos no ar que atraem mosquitos e eles são mortos no próprio dispositivo. Os aminoácidos não são tóxicos e o dispositivo consome pouca energia”, explica a estudante.

O apelo em criar um produto que possa matar mosquito para combater doenças, como febre amarela, dengue, Zika e Chikungunya atraiu os estudantes do IFMT. O Brasil registra 164 mortes por febre amarela desde julho do ano passado, segundo informações divulgadas na quarta-feira (21) pelo Ministério da Saúde. De acordo com notícia publicada na Radioagência Nacional nessa quinta-feira (22), no período de 1º de julho de 2017 a 20 de fevereiro deste ano, foram notificados 1.773 casos suspeitos de febre amarela, sendo 545 confirmados, 685 descartados e 422 permanecem em investigação.

A equipe que conquistou o segundo lugar é do IFMT – Campus Juína, com a start up “Toper Bio – fraldas biodegradáveis”. O estudante Wanderson Perondi explicou que a ideia surgiu a partir da problemática do professor Aloizio Farias, cujo pai sofre de Alzheimer, que é uma doença degenerativa. Ele sempre tinha a preocupação do que fazer com as fraldas depois do descarte. “A gente teve a ideia de substituir o plástico, que é um polímero sintético feito a partir do petróleo por um plástico de polímero natural feito a partir do amido da mandioca.”

O idealizador do Programa Células Empreendedoras, Genésio Gomes, destacou que a Maratona Células Empreendedoras MT melhorou muito em relação às edições anteriores. A iniciativa envolveu cinco instituições de ensino, mais de 100 projetos, sendo que 20 foram acelerados, com nove na final, além de ter trazido dois grupos de investidores para conhecerem os projetos.

“É incrível como os investidores estão animados, dizendo que as starts ups aqui têm condições de serem start up internacionais. Isso não é uma fala de educador, mas investidores. Acredito que com o apoio deles teremos mais impacto com as start up que eles escolherem daqui”, destacou Genésio Gomes.

Sobre a conquista pelo IFMT do primeiro e segundo lugares, o idealizador do Programa Células Empreendedoras afirmou que “já sentia desde a maratona do ano passado que o IFMT tem um diferencial em inovação. Alguma coisa acontece dentro do IF que não sei se a instituição é mais jovem, ou porque está mais vinculada à questão prática e de mercado. Mas se fizermos 10 maratonas o IF vai estar na frente porque de alguma forma a instituição tem práticas educacionais que favorecem a inovação. Isso atraiu a atenção do MEC e fez com que o Ministério da Educação transformasse o Programa Células Empreendedoras em um programa nacional para toda a rede de educação profissional e tecnológica”, frisou Genésio Gomes.

O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, Domingos Sávio, avaliou positivamente o resultado da maratona, pois proporciona oportunidade aos jovens dos lugares mais longínquos de Mato Grosso colocarem e transformarem seus sonhos e ideias em realidade. “Acompanhamos ideias para a melhoria da saúde, do transporte e da qualidade de vida da população. Tudo isso era sonho e estamos transformando em realidade. A maratona ocorreu no segundo ano consecutivo e vamos investir para a realização do terceiro ano”, garantiu Domingos Sávio.

O coordenador do Parque Tecnológico Mato Grosso, Rogério Nunes, contou que faz dois anos que o parque tem fomentado o sistema de inovação e empreendedorismo. “O Programa Células fez essa parceria com a Secitec para que o empreendedorismo entre professores e estudantes fosse cada vez mais fomentado e despertado. Vejo nessa premiação um avanço gradativo. Temos muito o que caminhar no estado a respeito do empreendedorismo e inovação tecnológica.

Sobre o resultado positivo do IFMT, Rogério Nunes avaliou de forma isonômica: “o IFMT mereceu ter conquistado os dois primeiros lugares. O Programa Células Empreendedoras foi apresentado a todas as instituições de ensino e aqui estão os finalistas porque são os melhores. Isso não significa que todas as outras ideias que passaram pelo Célula não foram boas ou importantes. Eles venceram, pois foram os mais inovadores”, destacou.

O coordenador do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) do IFMT, Jeferson Gomes Moriel Junior, parabenizou os vencedores por criarem produtos que apresentaram inovação e assegurou que o NIT fará o acompanhamento necessário para que os produtos criados ganhem vida e possam sofrer transferência. “Vamos acompanhar toda a proteção que for necessária, seja patente ou não, também é possível que possamos dar encaminhamento em aceleração e parcerias com empresas interessadas, além das pesquisas de base para desenvolver o produto que esses estudantes criaram”, destacou Jeferson Moriel.

O diretor de Pesquisa e Inovação do IFMT, José Luiz Siqueira, também considerou positivo o resultado do IFMT, pois a participação da instituição no Programa Células Empreendedoras desenvolveu um ecossistema de educação empreendedora de modo que os estudantes tenham suas perspectivas ampliadas com a possibilidade de empreender as suas próprias ideias e gerar negócios inovadores na economia de Mato Grosso e nas regiões onde estão localizados os campi.

“É uma conquista extremamente significativa. Temos o apoio da premiação do Células Empreendedoras, que custeia a ida de um servidor e um aluno vencedores da equipe. O IFMT, para incentivar esses alunos, também irá custear a despesa de mais três alunos da equipe para fazer essa visita em Recife. É bom salientar que o IFMT incentiva a pesquisa científica tanto para alunos do ensino médio como da graduação. Para isso temos o apoio das agências fomentadoras, como Fapemat e CNPq. Isso faz com que nossos alunos tenham gosto pela pesquisa”, finaliza José Siqueira.  

Conheça as start ups vencedoras no Células Empreendedoras:

1º Lugar – Aminotec – Dispositivo para atração e morte de mosquitos: Dispositivo contendo fórmula de Aminoácidos capaz de atrair e matar mosquitos e atuar na prevenção de doenças como: Febre Amarela, ZIKA, Dengue e Chikungunya. Composta por: Isabelly Holtman, Anna Clara Capistrano, Bianca Oliveira e Raphael Barroso – alunos dos cursos técnico integrado ao ensino médio do IFMT - Campus Diamantino.

2º Lugar – Toper Bio – Fraldas Biodegradáveis: Fraldas e absorventes feitos com plástico biodegradável a base de mandioca. Composta por: Mariana Sacht Nunes, Wagner Leandro Júnior, Anderson de Brito Almeida, Marcos Vinicius de Araújo Schmitt, Wanderson Perondi Lopes, Evandro Carlos de Oliveira – alunos dos cursos técnico integrado ao ensino médio do IFMT - Campus Juína.

Fonte: Instituto Federal do Mato Grosso (IFMT)

SCS, quadra 2, bloco D, Edifício Oscar Niemeyer, térreo, lojas 2 e 3. CEP: 70316-900. Brasília – DF – Brazil

       ​Secretariat Executive
    (61) 3966-7220
   conif@conif.org.br

       ​​Social Communication and Events Advisory
    (61) 3966-7230
   ​comunicacao@conif.org.br

       ​​​International Relations Advisory
    (61) 3966-7240
   ​internacional@conif.org.br