Projeto de Ginásio Experimental Olímpico deve chegar à Rede Federal

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Na última quarta-feira, 12 de julho, os reitores Marcelo Bregagnoli (IFSULDEMINAS) e Roberto Gil Rodrigues Almeida (IFTM), representando o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), fizeram uma visita ao modelo do Ginásio Experimental Olímpico (GEO) Nelson Prudêncio, localizado na Ilha do Governador, Rio de Janeiro.

Na ocasião, uma comitiva de representantes dos Ministérios da Educação (MEC) e dos Esportes (ME) apresentou o projeto à Rede Federal com objetivo de estender a experiência da Prefeitura do Rio para o Ensino Médio em todo o país. A proposta de continuidade do modelo GEO para o Ensino Médio do Grupo de Trabalho (GT) dos dois ministérios tem como perspectiva iniciar projetos-pilotos na Rede Federal de Educação Profissional, por meio do Programa de Educação Esportiva nos Institutos Federais (GEO-TEC). Estavam também na comitiva, acompanhada por integrantes do Instituto Trevo e diretores dos demais ginásios olímpicos, Sandra Tinné, da Secretaria de Educação Básica, que se confessa uma entusiasta do modelo e Júlio César Garcia, do instituto Federal Goiano.

Marco Juliatto, representante da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, afirmou que o GT identificou três formas possíveis de adesão ao projeto pelo Governo Federal: integrar o modelo dos ginásios experimentais ao Ensino Médio Integrado ao Técnico; fechar parcerias com escolas vizinhas de outras redes às escolas técnicas; ou mesmo com as escolas municipais de ensino fundamental.

“O Ministério dos Esportes chegou à conclusão de que fomentar a prática do esporte nos jovens brasileiros só por meio de bolsas e patrocínio não traz ganhos suficientes. Volta-se agora a apoiar projetos com metodologias de ensino que reúnam educação e esportes”, disse Juliatto, que é também assessor do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), instituição com 19 campi que oferece cursos de qualificação e formação continuada.

De acordo com o reitor do Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM), Roberto Gil Rodrigues Almeida, também vice-presidente do Conif, é necessário convencer os professores a aderirem ao projeto e criar um modelo de formação de docentes para o ensino integrado com o esporte. “Nós precisamos investir na qualificação desses profissionais, porque 20% dos professores da rede federal de ensino profissional e tecnológico são novos, e adaptar nossas unidades para atender a modalidades esportivas”, enfatizou.

Para o reitor do Instituto Federal do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS), Marcelo Bregagnoli, o GEO é uma alternativa pedagógica que vai além da formação integral do aluno (mente e corpo). "Representa uma filosofia de entendimento da atividade física aliada aos conhecimentos (na sua formalidade), levando os estudantes a se apaixonarem por aquilo que fazem, tornando-os mais felizes, respeitosos e com perspectivas de uma sociedade melhor. Nas unidades onde os GEOs foram instalados, pode ser constatada a eficiência dos programas de permanência e êxito, com índices de evasão/retenção próximos de zero", comentou.

A representante do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), Ana Patrícia Siqueira Tavares Falcão, informou que o GT vem trabalhando na elaboração de um edital de lançamento do programa para as instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. “Como contrapartida, o Ministério dos Esportes nos acena com a possibilidade de investimentos em reformas de escolas e aquisição de equipamentos”, disse.

Sobre os Ginásios – A coordenadora dos ginásios olímpicos da Secretaria Municipal de Educação, Cristina Brum, foi a anfitriã da visita ao GEO da Ilha do Governador, uma das quatro unidades do programa experimental da Prefeitura. Essas escolas atendem 1.500 alunos e oferecem, em média, sete modalidades esportivas. Cada turma conta com 35 alunos.

O Ginásio Experimental Olímpico reúne desenvolvimento acadêmico e esportivo para alunos do sexto ao nono ano. Os outros três GEOs da cidade são Juan Antonio Samaranch, em Santa Teresa; Dr. Sócrates, em Pedra de Guaratiba; e Félix Mielli Venerando, no Caju.

Os ginásios possuem carga horária de nove horas, cinco tempos semanais de inglês, além de matérias eletivas e treinamento esportivo. A rotina de treinos envolve pelo menos duas horas de prática esportiva por dia. Os alunos têm mais aulas de Português, Matemática, Ciências, e de reforço, como incentivo para tirar boas notas.

 

Fonte: Ascom/IFSULDEMINAS com informações da Assessoria de Comunicação da Prefeitura do Rio de Janeiro

 

Assessoria de Comunicação

Conif

(61) 3966-7202

SCS, quadra 2, bloco D, Edifício Oscar Niemeyer, térreo, lojas 2 e 3. CEP: 70316-900. Brasília – DF
    (61) 3966-7201
   conif@conif.org.br