Países de Língua Portuguesa debatem cooperação técnica

Um idioma comum, laços históricos e culturais, uma rede de interesses e valores conjuntos são características da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Reunidos em Brasília, na sede do Ministério da Educação (MEC), desde a quarta-feira, 30/8, os representantes da CPLP discutiram os desafios do ensino técnico e profissional vividos em suas nações.

Organizado pela Secretaria de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Setec), em parceria com o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), o encontro ocorreu até hoje, 1º de setembro. Ao fim da reunião, foi produzido uma carta de recomendações para os países membros da CPLP, com estratégias que promovam o ensino profissionalizante e uma agenda para o fortalecimento da cooperação técnica.

O documento considera as deliberações anteriores das Reuniões Ministeriais da CPLP, que destacam a importância do ensino profissional e tecnológico para o progresso e o desenvolvimento dos países contribuindo para o cumprimento do Plano de Ação de Cooperação Multilateral no Domínio da Educação (2016-2020).  A carta também reforça o compromisso dos Estados com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

“Pela primeira vez temos uma orientação política que vem da reunião ministerial da educação e nós estamos vendo ganhar corpo uma reunião que vai impulsionar o trabalho em conjunto em prol do desenvolvimento da educação profissional dos estados membros da CPLP”, destaca a técnica do secretariado executivo da CPLP, Arlinda Cabral.

Além de responsável pela relatoria da reunião, o reitor do Instituto Federal do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS), Marcelo Bregagnoli, também coordenou a elaboração da Carta de Recomendações que será submetida aos ministros da educação dos estados-membros da CPLP. Ele enfatizou a participação ativa de todos na realização da agenda e ressaltou que a construção coletiva e o compartilhamento de boas práticas devem guiar a implementação das recomendações. Pontuou ainda que a Rede Federal estará empenhada para o êxito das ações previstas, destacando que uma das estratégias de internacionalização das instituições brasileiras é o fortalecimento da cooperação Sul-Sul.

Em 2018, Brasília sediará a 10ª Reunião de Ministros da Educação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Abertura – A cerimônia de abertura da Reunião Técnica contou com a presença do presidente do Conif, Francisco Roberto Brandão Ferreira, da secretária da Setec, Eline Nascimento, da diretora Adjunta da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), Andréa Watson, do chefe da Divisão de Temas Educacionais do Ministério das Relações Exteriores (MRE), Gustavo Barbosa, da técnica do secretariado executivo da CPLP, Arlinda Cabral, de reitores de Institutos Federais e embaixadores.

Em sua fala, o presidente do Conif destacou a importância de construir estratégias considerando as experiências vividas em cada país. “Com o debate realizado neste encontro vamos poder adotar as ideias que mais prosperaram nas entidades das delegações presentes”, afirmou Roberto Brandão.

Durante a abertura do encontro, foi lançado o concurso Ideias Inovadoras em Educação e Trabalho, com o objetivo de fortalecer a integração de estudantes e professores de instituições de ensino dos países membros da CPLP por meio de uma experiência formadora.

Painéis – Reitores de institutos federais apresentaram os resultados dos trabalhos realizados em suas instituições nos seguintes eixos temáticos: Empreendedorismo e Inovação (Jefferson Manhães de Azevedo – IFF e Denio Rebello Atrantes – Ifes); Tecnologia Assistiva (Antonio Venâncio Castelo Branco – Ifam e Sônia Regina de Souza Fernandes – IFC); Ferramentas de Gestão (Wyllys Tabosa Farkat – IFRN e Uberlando Tiburtino Leite – Ifro), e Relação de Gênero (Wilson Conciani – IFB e Willian Silva de Paula – IFMT).

Representantes da Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Portugal, São Tomé e Príncipe também expuseram casos de sucesso nos painéis.

Histórico – Com países em quatro continentes – Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé, Príncipe e Timor-Leste – a CPLP foi criada em 1996 com o objetivo de consolidar acordos políticos e diplomáticos, a cooperação em todos os domínios, promover o desenvolvimento econômico e social dos seus povos e a difusão da língua portuguesa.

A atuação da CPLP tem contribuído para a projeção internacional da língua portuguesa, o fortalecimento institucional e político dos membros em situação de crise ou instabilidade, a afirmação conjunta dos interesses comuns de seus membros em outros foros internacionais e para o desenvolvimento de programas de cooperação em diversas áreas. Atualmente, o Brasil ocupa a presidência pro tempore da CPLP.

Cooperação na Rede – A Rede Federal possui experiência de cooperação bilateral com alguns países membros da comunidade como Angola, Cabo Verde, Timor Leste e mais recentemente Moçambique. Em 2017, foi firmado Protocolo de Intenções entre o Conif e o Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional da República de Moçambique. Como primeira atividade será realizado o programa para formação de 30 professores moçambicanos na área agrícola em diversos campi da Rede a partir deste mês.

 

Com informações do Portal do MEC

 

Foto 1: Luís Fortes

Foto 2: Comunicação CPLP

Foto 3: Ascom Conif

 

Nívea Furtado

Assessoria de Comunicação

Conif

(61) 3966-7202 / 3966-7203

SCS, quadra 2, bloco D, Edifício Oscar Niemeyer, térreo, lojas 2 e 3. CEP: 70316-900. Brasília – DF
    (61) 3966-7201
   conif@conif.org.br