Pesquisa sobre conservação da reserva florestal do IFMT Cáceres é publicada em periódico da Embrapa

ifmt reserva florestal.jpg 1000x800 q80 subsampling 2 upscaleEstudo sobre conservação, estrutura da floresta e diversidade de espécies arbóreas e arbustivas realizado na reserva florestal do Instituto Federal de Mato Grosso, IFMT, Campus Cáceres – Prof. Olegário Baldo é um dos destaques da edição atual da revista Pesquisa Florestal Brasileira (PFB), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Embrapa Florestas.  

No artigo intitulado “Caracterização florística e fitossociologia de um fragmento de Cerradão em Cáceres, Mato Grosso”, os autores Otávio Miranda Verly, Iuri Maicon Moreira de Oliveira, Cristman Taísse Félix dos Santos, Leonardo Leite Fialho Junior e Poliane Rodrigues Rosa apresentam os resultados de trabalho, desenvolvido em 2017 durante a disciplina de Inventário Florestal do curso de Engenharia Florestal do campus, em autoria conjunta com o professor da disciplina Arthur Guilherme Schirmbeck Chaves e a professora Fernanda Miguel Franco.

Localizada na região de transição Cerrado-Pantanal no norte do município de Cáceres, a reserva legal do IFMT Cáceres tem aproximadamente 65 hectares. A área possui, segundo o estudo, riqueza de estrutura florestal e diversidade de vegetação. O trabalho foi realizado utilizando o método de área fixa em conglomerados indicado nas diretrizes para coleta de dados do Inventário Florestal pelo Sistema Florestal Brasileiro.

De acordo com o levantamento, na amostra de 411 árvores, foram identificadas 44 espécies e 21 famílias botânicas.  A família com maior riqueza de espécies encontrada no fragmento de Cerradão analisado é a Fabaceae com 11 espécies diferentes, a exemplo da Platypodium elegans Vogel, conhecida popularmente como Amendoim-do-Campo. Entre as espécies mais importantes estruturalmente estão a Aspidosperma cylindrocarpon, conhecida como Peroba-Rosa e a Callisthene fasciculata, conhecida no pantanal mato-grossense como Carvão-Branco ou Carvoeiro.

Segundo o estudo não foram observadas alterações florístico-estruturais provenientes de pressão antrópica, resultante da ação do homem na área. Para o pesquisador Otávio Verly, um dos autores do artigo, egresso do curso de Engenharia Florestal do IFMT Cáceres e mestrando da Universidade Federal de Viçosa, a estrutura da floresta e a diversidade de espécies do estrato arbóreo-arbustivo indicam o bom estado de conservação do componente florestal da reserva.

“O fragmento encontra-se em um bom estado de conservação, mesmo com as pressões antrópicas causadas pela agropecuária na região, porque a estrutura da floresta e a diversidade demonstram que essa pressão não está tendo efeitos negativos significativos sobre o componente florestal”, explica Otávio Verly.

Verly destaca que o trabalho consiste na publicação do primeiro estudo sobre a flora do campus e aponta para amplo campo de estudo para outras pesquisas que podem ser desenvolvidas na reserva.

O artigo completo publicado na última edição do periódico PFB (v.40) está disponível no link https://pfb.cnpf.embrapa.br/pfb/index.php/pfb/article/view/1742

Fonte: Matéria originalmente publicada no site do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT)

SCS, quadra 2, bloco D, Edifício Oscar Niemeyer, térreo, lojas 2 e 3. CEP: 70316-900. Brasília – DF

       ​Secretaria Executiva
    (61) 3966-7220
   conif@conif.org.br

       ​​Assessoria de Comunicação Social e Eventos
    (61) 3966-7230
   ​comunicacao@conif.org.br

       ​​​Assessoria de Relações Internacionais
    (61) 3966-7240
   ​internacional@conif.org.br