Projeto que visa a redução de lixo em rio de comunidade ribeirinha em Abaetetuba é premiado em feira de ciência nacional

O projeto “Estratégias socioambientais para a conservação do bioma aquático amazônico: reaproveitamento da poluição plástica como alternativa de renda para a comunidade ribeirinha do rio Jarumã - Abaetetuba – Pará” mais conhecido entre a comunidade do IFPA Campus Abaetetuba como “Eco Caiaque”, foi premiado no dia 27 de março na 19ª edição da Febrace - Feira Brasileira de Ciências e Engenharia da Universidade de São Paulo (USP), conquistando o 3º lugar no Prêmio Marinha do Brasil Mentalidade Marítima. O objetivo principal do projeto é o planejamento, o desenvolvimento e a aplicação de ações estratégicas para a conservação do bioma aquático do Rio Jarumã, garantindo que os recursos naturais sejam usados de forma sustentável e equilibrada pela comunidade.

Coordenado pelo professor Dr. Josiel Vilhena, professor de Sociologia do campus, o projeto é desenvolvido em um dos ramos da Sociologia, chamado Sociologia Ambiental e tem como metodologia a pesquisa-ação que fundamenta-se em ciência básica e aplicada, de forma que em conjunto com a comunidade ribeirinha do Rio Jarumã se possa enfrentar os desafios ambientais da região, ou seja, unindo teoria de sala de aula com a prática externa.

Então, como o projeto acontece na prática. O professor Josiel e os alunos Paulo Rego, estudante de Ciências Biológicas, Bianca Ribeiro e Daisy de Souza, alunas do curso Técnico em Meio Ambiente, verificaram que às margens do Rio Jarumã, próxima à área onde o IFPA Campus Abaetetuba fica localizado, concentrava grande quantidade de lixo, principalmente material plástico que era descartado, em sua maioria, pelos próprios moradores.

“Observamos que o rio estava bastante poluído e dessa forma, dificultava o consumo e pesca da comunidade ribeirinha, então começamos a fazer a retirada desse lixo ”, lembrou Bianca Ribeiro.

Desta forma, a equipe de pesquisa pensou em realizar a coleta desse material utilizando caiaques estanques, que são seguros e sustentáveis.  Além da coleta eles também reutilizaram o lixo, fabricando protótipos que futuramente podem ser uma fonte de renda para os ribeirinhos. O próximo passo será um contato mais direto com a comunidade, falar sobre conscientização ambiental e sua importância para preservar as vidas aquáticas que habitam os rios, esta atividade foi adiada em virtude da pandemia. 

Segundo o aluno Paulo Rego, o projeto também tem como um dos objetivos “buscar a inclusão dos ribeirinhos em atividades do IFPA, visando a parceria entre Comunidade e Instituto. Então iremos seguir com esse modelo de inclusão e com o intuito de criar, em parceria com outros órgão, um sistema de coleta  seletiva nas Ilhas de Abaetetuba”

O professor Josiel conta que a equipe de pesquisa foi surpreendida, que mesmo sem fazer esse contato direto sobre conscientização e destinação correta do lixo, eles observaram que o rio desta localidade encontra-se totalmente limpo. “Só o fato deles nos verem retirando o lixo da água, começaram a ter mais cuidado, fazem a coleta direitinho e podemos ver um rio totalmente limpo, isso mostra como esses projetos contribuem de forma significativa para a preservação do meio ambiente. Nossa intenção é ampliar o projeto, levar para mais comunidades e quem sabe para outros municípios que compõem a área de abrangência do IFPA Campus Abaetetuba, destacou o sociólogo.

Fonte: Matéria originalmente publicada no site do Instituto Federal do Pará (IFPA)

SCS, quadra 2, bloco D, Edifício Oscar Niemeyer, térreo, lojas 2 e 3. CEP: 70316-900. Brasília – DF

       ​Secretaria Executiva
    (61) 3966-7220
   conif@conif.org.br

       ​​Assessoria de Comunicação Social e Eventos
    (61) 3966-7230
   ​comunicacao@conif.org.br

       ​​​Assessoria de Relações Internacionais
    (61) 3966-7240
   ​internacional@conif.org.br