Solenidade interativa e inclusiva marca o início da primeira Reditec em formato totalmente digital

tela autoridades2Uma solenidade inovadora para um formato inédito na história da Reunião Anual dos Dirigentes das Instituições Federais de Educação Profissional e Tecnológica (Reditec): assim foi a abertura oficial da 44ª edição do mais tradicional evento da Rede Federal, na tarde desta segunda-feira (05). Realizada pela primeira vez de forma virtual e com transmissão ao vivo, a cerimônia marcou o início da Reditec 2020, que contabiliza cerca de 3 mil inscritos.  

Apresentado e mediado diretamente de um estúdio personalizado, o evento foi configurado para o formato virtual pelo Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), a fim de cumprir as atuais necessidades de distanciamento social. O aparato tecnológico utilizado possibilitou a transmissão das imagens em alta qualidade e a interação do público, por meio de chat. As autoridades que compuseram a mesa de abertura deram tônica do que se pode esperar desta edição da Reditec: um encontro ainda mais amplo, inclusivo e tecnológico. A solenidade, que durou cerca de 1h30, foi integralmente traduzida para a Língua Brasileira de Sinais (Libras), gravada e disponibilizada neste link.

Apesar de manter o tradicional foco na gestão da Rede Federal e nas discussões envolvendo as áreas de Ensino, Pesquisa e Extensão, a solenidade foi transmitida pelas páginas oficiais do Conif no YouTube e Facebook e aberta à comunidade em geral, além de acompanhada por servidores, estudantes, pais de alunos e gestores.

A grandeza da Rede

Além de demandar uma reformulação ao próprio formato do evento, o contexto atual também influenciou na programação da Reditec 2020, cujo tema é “Contribuições, perspectivas e transformações da Rede Federal para os contextos de pandemia e pós-pandemia”. O presidente do Conif e reitor do IFES, Jadir José Pela, dedicou parte da sua fala à apresentação de dados que atestam a qualidade da educação ofertada pela Rede Federal, a amplitude e diversidade do trabalho realizado pelas instituições que a integram.

“São 653 unidades de ensino localizadas em mais de 80% das microrregiões brasileiras. Nossas instituições ofertam mais de um milhão de matrículas gratuitas e mais de 10 mil cursos de educação profissional e tecnológica em todo o país”, pontuou o dirigente, ao sublinhar que, além desta capilaridade no território nacional, o trabalho da Rede também tem como marca a verticalização, com oferta de cursos gratuitos desde a qualificação profissional até a pós-graduação. Ele enfatizou ainda que os mais de 7,8 mil cursos de qualificação profissional e técnicos de nível médio oferecidos pela Rede Federal são de alta qualidade, “comparável aos níveis educacionais praticados em países como a Finlândia, a Coréia do Sul, o Reino Unido e a Alemanha, de acordo com o ranking do PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes)”.

Ao citar ainda outras características da Rede, como o seu compromisso com a inclusão, a internacionalização, a inovação e o empreendedorismo, o gestor destacou o trabalho realizado pelas instituições e frisou que o grande objetivo da Reditec é reunir dirigentes para apresentação e discussão sobre estudos, ações e resultados que possam fortalecer a atuação nos territórios em que cada instituição está inserida. “A Reditec é a melhor ferramenta de compartilhamento das nossas experiências e de geração de soluções de gestão em rede”, frisou Jadir Pela.

Em sua explanação, o presidente do Conif saudou as demais autoridades participantes e destacou o apoio de todas as instituições e agentes envolvidos na defesa de importantes demandas da Rede Federal, como um orçamento justo para a educação e o respeito à autonomia e aos processos democráticos das instituições.

autoridades 2

Andifes e Conif:  parceria e união de forças

O presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Edward Brasil, enfatizou o estreitamento do diálogo entre Conif e Andifes, ao trabalharem em conjunto pautas atuais, naturais e impostas às instituições, como a do orçamento justo para a Educação em 2021; a da realização de concursos públicos e a da autonomia na nomeação dos dirigentes das duas redes. “Nada mais óbvio que estejamos juntos, somando nossas demandas”, ressaltou. Brasil ainda lançou uma provocação, ao propor a adoção de um regime de cooperação entre as redes. “Para além dessas três pautas, a pandemia colocou de forma muito mais visível as possibilidades que nós temos de cooperação, do quanto precisamos estar juntos para enfrentar os problemas da Educação. Não podemos mais não compartilhar aquilo que temos de melhor nestes dois conjuntos de instituições: nossas capilaridades que são complementares, e que chegam a aproximadamente 1.000 municípios [atendidos]; e nosso potencial humano e estrutural. Se os secretários [do MEC] estiverem convencidos desse potencial, iniciaremos projetos-piloto no Ensino, Pesquisa e Extensão, que muito em breve se alastrarão pela rede de institutos e universidades”, argumentou.

Rede Federal: papel primordial na educação pública

O secretário de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação (MEC), Wandemberg Venceslau Rosendo, falou sobre o processo de amadurecimento pelo qual a Rede Federal, o MEC e outros órgãos passaram para se adaptarem à realidade imposta pelo novo coronavírus. “Neste momento, as instituições da Rede Federal têm condições de responder às demandas que o período pós-pandemia exigirá. Ela está em processo de consolidação, com seus 111 anos e corpo técnico e docente altamente qualificado”. Rosendo também mencionou o compromisso da Secretaria com a Rede. “A Rede Federal é fundamental para viabilizar alternativas de educação profissional de qualidade, como meio de suprir a carência de profissionais do mundo do trabalho. E a Setec buscará manter o protagonismo do setor público, mas não apenas como executor primordial da política, mas como um indutor deste processo de transformação sem afastar as articulações e parcerias com o setor privado, que é agente importante neste processo”.

Mesa de honra

Compuseram, também, a mesa solene os vice-presidentes do Conif, Paulo Henrique Gomes de Lima (Administrativo), Sônia Regina de Souza Fernandes (Assuntos Acadêmicos), Rosana Cavalcante dos Santos (Relações Parlamentares) e Willian Silva de Paula (Relações Institucionais); além do presidente do Conselho Nacional de Diretores das Escolas Técnicas Vinculadas às Universidades Federais (Condetuf), Zilmar Rodrigues de Souza; e a deputada federal Luisa Canziani (PTB-PR).

Espaço cultural

As apresentações culturais, que sempre emocionaram os participantes nas edições presenciais da Reditec, também fizeram parte da solenidade de abertura da Reditec 2020. Ao longo da cerimônia, foram intercaladas apresentações artísticas, gravadas, que mostraram a diversidade e riqueza da Rede Federal.

banda entretantos

A execução do Hino Nacional, cuja letra contou com tradução da intérprete de Libras, ficou por conta da Orquestra e do Coral do Campus Florianópolis do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), composta por estudantes, egressos, servidores e comunidade. Já a banda EntreTantos, que surgiu de um projeto do Campus Farroupilha do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS), enviou o videoclipe da música autoral “Uma vida inteira para sonhar”.

Primeira palestra

Ainda durante o primeiro dia do encontro, logo após a cerimônia de abertura, aconteceu a palestra “Análise de cenário e conjuntura política da Educação”, ministrada pelo docente, cientista político e deputado federal Israel Batista, em conjunto com o professor, consultor e analista de risco político Creomar de Souza.

O que vem por aí

A Reditec 2020 segue até a próxima quinta-feira (08), com palestras e mesas redondas sobre Educação (06/10), Gestão e Trabalho (07/10) e Internacionalização (08/10). Além disso, os coordenadores e vice-coordenadores de Fóruns do Conif, como também os gestores de áreas do Conselho irão se reunir em atividades internas para ampliar as discussões sobre as diversas temáticas que envolvem a Rede Federal. Ao final do evento, a diretoria do Conif irá elaborar e divulgar uma carta abordando as temáticas discutidas. Clique aqui para mais informações sobre a programação.

Texto: Greice Gomes (IFSul) e Renata Silveira (IFSULDEMINAS)
Edição: Bárbara Souza (IFBA)

SCS, quadra 2, bloco D, Edifício Oscar Niemeyer, térreo, lojas 2 e 3. CEP: 70316-900. Brasília – DF

       ​Secretaria Executiva
    (61) 3966-7220
   conif@conif.org.br

       ​​Assessoria de Comunicação Social e Eventos
    (61) 3966-7230
   ​comunicacao@conif.org.br

       ​​​Assessoria de Relações Internacionais
    (61) 3966-7240
   ​internacional@conif.org.br